J Bras Nefrol. 2019;41(2):208-14.

Inquérito Brasileiro de Diálise Crônica 2017

Fernando Saldanha Thomé ORCID logo , Ricardo Cintra Sesso, Antonio Alberto Lopes, Jocemir Ronaldo Lugon ORCID logo , Carmen Tzanno Martins

DOI: 10.1590/2175-8239-JBN-2018-0178

Resumo Gráfico

Resumo Gráfico Clique para ver

Resumo

Introdução:

Dados nacionais sobre diálise crônica são fundamentais no planejamento do tratamento.

Objetivo:

Apresentar dados do inquérito da Sociedade Brasileira de Nefrologia sobre os pacientes com doença renal crônica em tratamento dialítico em julho de 2017.

Métodos:

Levantamento de dados de unidades de diálise do país. A coleta de dados foi feita utilizando questionário preenchido on-line pelas unidades de diálise.

Resultados:

291 (38,4%) centros responderam ao questionário. Em julho de 2017, o número total estimado de pacientes em diálise foi de 126.583. As estimativas nacionais das taxas de prevalência e de incidência de pacientes em tratamento dialítico por milhão da população (pmp) foram 610 (variação: 473 na região Norte e 710 no Centro-Oeste) e 194, respectivamente. A taxa de incidência de novos pacientes em diálise com diagnóstico de nefropatia diabética foi de 77 pmp. A taxa anual de mortalidade bruta foi de 19,9%. Dos pacientes prevalentes, 93,1% estavam em hemodiálise e 6,9% em diálise peritoneal, com 31.226 (24%) em fila de espera para transplante. Cateter venoso era usado como acesso em 22,6% dos pacientes em hemodiálise. A taxa de prevalência de sorologia positiva para hepatite C continua a mostrar tendência para redução (3,3%).

Conclusão:

O número absoluto de pacientes e as taxas de incidência e prevalência em diálise continuam a aumentar; a taxa de mortalidade tendeu a elevar-se. Há discrepâncias regionais e estaduais evidentes nessas taxas.

Inquérito Brasileiro de Diálise Crônica 2017

Comentários